Home Page
Regiões
Mapas
Roma
Firenze
Veneza
Milão
Mais Cidades
Hotéis
Restaurantes
Compras
Dicas
Passagens Aéreas
História
Clima

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

                 R  E  G  I  Õ E  S                

 Caminhos lindos, estradinhas, encostas, cidade escondidas, penhascos, vistas maravilhosas...quantas fotos para tirar, quanta história para contar...perca-se nas regiões da Itália! O difícil é escolher para onde ir...

Vamos para Itália!!

Alugue um carro na Itália

Agende aqui seus passeios na Itália com antecedência

Pesquise aqui melhores ofertas de hotéis na Itália

 

           T  o  s  c  a  n  a            

A região da Toscana é muuito linda, merece ser explorada de carro, com belos passeios pelas suas estradinhas, seus campos de girassóis, vales, encostas de ciprestes, oliveiras, vinhedos a perder de vista...Merece ser curtida em boa companhia, comemorada com a culinária deliciosa e muitos brindes do melhor vinho do Chianti! Perca-se nas vinhas, no verde, nos trigos, nos campos de lavanda da Toscana. Paisagens de filme, imperdível!!

 Foi na Toscana, terra da grande literatura de Dante, Petrarca e Boccaccio, que nasceu o italiano moderno.  Foi na Toscana que nasceu e se desenvolveu, entre os séculos XIV e XVI, a grandiosa época do Humanismo e do Renascimento, que inovaram radicalmente a cultura e a arte, deixando um um marco para sempre.  Firenze (ou Florença) capital da Toscana, conserva grandes obras de arquitetura civil e religiosa, esculturas e pinturas de extraordinário valor artístico, de grandes gênios como Leonardo da Vinci, Michelangelo Buonarroti etc.   Há também Siena, com a sua Piazza del Campo, com o famoso Palio no verão . Também super famosa pelos seus grandes vinhos, como o Chianti e o Brunello.  Montepulciano e Pienza são jóias da arte renascentista, e San Gimignano, com as suas célebres torres . Em seguida há  Pisa,conhecida no mundo inteiro pela famosa Torre pendente; Carrara, com seu Duomo revestido do preciosíssimo mármore que recebe o nome da cidade; e ainda Lucca, Pistóia, Arezzo, Grosseto, Livorno, Prato, que também ostentam igrejas e monumentos de grande valor arquitetônico e artístico. São incontáveis as belezas naturais... Fazem parte da Toscana as províncias: Arezzo, Firenze, Grosseto, Livorno, Lucca, Massa, Carrara, Pisa, Pistoia, Prato e Siena.

             S  a  r  d  e  n  h  a         

 

 Nesta esplêndida ilha estiveram os fenícios, os cartagineses, os romanos,os árabes, os bizantinos, os espanhóis: a Sardenha assimilou  todas essas  influências, integrou-as em sua cultura, mas não se transformou. Assim, a área de Gennargentu (hoje um esplêndido Parque nacional), permaneceu sempre inacessível aos estrangeiros. Tudo isto dá um sabor único e original às férias passadas na Sardenha. O visitante sente-se seguro, "garantido" por essa sensação de imutabilidade: como se aqui, até mesmo nas áreas mais modernas e urbanizadas da ilha, tudo se conservasse de modo mais autêntico, mais verdadeiro do que nos outros lugares. Isso acontece em Cagliari ou em Nuoro,em Sassari ou em Oristano, em Alghero ou em Costa Smeralda: em qualquer lugar onde escolha desfrutar o magnífico mar ou visitar museus, ou saborear um bom prato típico. Fazem parte as províncias: Caligari, Carbonia-Iglesias, Medio Campidano, Nouro, Oligastra, Olbia-Tempio, Oristano, Sassari

            V  e  n  e  t   o         

 

 Você logo pensa em Veneza; suas gôndolas, Piazza San Marco, a Ponte dos Suspiros, os grandiosos monumentos arquitetônicos, as obras-primas de arte, os palácios, a potência marítima que dominou o Mediterrâneo durante 5 séculos. Mas o Vêneto não é só Veneza, e a natureza vêneta não é só mar...A montanha vêneta exprime cenários de rara beleza. As Dolomitas vistas de Cortina díAmpezzo e suas montanhas cobertas de neve, perfeitas para esquiar, e Belluno,são um espetáculo grandioso. E toda a área do delta do Pó, na província de Rovigo, é algo único do ponto de vista ambiental, de excepcional interesse natural. Em Padova, a majestosa Basílica queguarda as relíquias de Santo Antônio atrai a cada ano milhões de peregrinos. E Verona vale visitar para sonhar com  Romeu e Julieta... cidade imortalizada por Shakespeare, e assistir ópera numa noite de verão. Fazem parte do Vêneto as províncias: Belluno, Padova, Rovigo, Treviso, Veneza, Verona e Vicenza. Site Oficial

             E m i l i a  -  R o m a n a           

                                          

  Com extraordinário patrimônio histórico, artístico e cultural é uma das regiões mais prósperas da Itália.  A Emilia-Romana é conhecida pela obras de arte, universidades antigas e famosas, de modernos centros de formação artística e cultural. Em Bolonha, sede da mais antiga da Universidade italiana (séc. XI), são realmente inúmeros os monumentos de grande nível artístico. Como as espetaculares Torres dos Asinelli e da Garisenda, ambas pendentes,  a Piazza Maggiore, com os seus grandes edifícios medievais, e o gótico Duomo di S. Petronio, onde Carlos V foi coroado imperador, em 1530.Fora de Bolonha, são imperdíveis as obras-primas bizantinas de Ravenna, o Batistério medieval de Benedetto Antelami em Parma, o Templo malatestiano de Rimini, a igreja românica de S.Mercuriale em Forlì, o velho Palazzo comunale de Piacenza, o Santuário da Madonna della Ghiara, do séc. XVII, em Reggio Emilia, a esplêndida Galleria Estense de Modena, cidade onde se fabricam as jóias da Ferrari. O harmonioso e intacto centro histórico de Ferrara. E bom apetite.Mas o que isso tem a ver? Entre num restaurante da Emilia-Romana, hum.... Fazem parte da Emília-Romana as províncias: Bolonha, Ravenna, Ferrara, Forli-Cesena, Modena, Parma, Piacenza, Reggio Nell´emilia, Rimini. Site Oficial

             L  á  z  i  o           

 

Roma é a capital do Lázio. Todos sabem disso: é grande e irresistível a atração da Cidade Eterna, capital da cristandade, sede do Papa, suas incomparáveis obras-primas arquitetônicas e artísticas do mundo antigo.  Descobriríamos assim uma região de grande fascínio natural e ambiental, com uma extraordinária variedade de paisagens: vastas praias, grandes bosques de pinheiros, montes como o Terminillo, como ótima estação de esqui,  suaves colinas e amplas planícies. Uma região rica em monumentos de arte, que recordam a extraordinária história desta região. Em Tarquinia, Cerveteri e Tuscania, necrópoles e museus recordam o antigo e misterioso povo dos etruscos (séc. VII-VI a.C.), que dominou a Itália central antes da ascensão de Roma. Os testemunhos da romanidade e das épocas históricas seguintes são inúmeras fora de Roma, nas outras províncias do Lázio e nas própriascapitais provinciais: Rieti, Viterbo, Latina e Frosinone. Como a grandiosa Villa Adriana de Tivoli, onde também se acha a renascentista Villa d'Este,  o Palazzo Barberini de Palestrina, do séc. XVII, a Catedral de Anagni. a religiosidade romana se estende além de Roma     nas Abadias de Montecassino, de Casamari, de Fossanova e nos mosteiros de Subiaco, lugares caros a São Bento de Núrcia. Fazem parte do Lázio as províncias : Frosinone, Latina, Riete, Roma e Viterbo. Site Oficial

            C  a  l  á  b  r  i  a           

 

Devemos ser eternamente gratos aos Bronzes de Riace, as 2 estátuas gregas recuperadas no mar e expostas, a partir do início da década de 80, no Museo Nazionaledella Magna Grecia de Reggio Calabria. Graças à irresistível atração exercida pelas 2 obras-primas (um dos quais atribuído a Fídias, grande escultor grego do séc. V a.C.), atraem milhares de visitantes. A Calábria é uma terra belíssima, com mar sem poluição, em alguns lugares de natureza ainda selvagem, com obras-primas arquitetônicas e artísticas.  Fascinante Calábria das surpresas, por vezes refinadas. Como por exemplo, o Codex Purpureus, um raro evangeliário grego do séc. VI, conservado no Museu Diocesano.  É  de tirar o fôlego a pitoresca costa de Tropea, sobre o mar Tirreno (a Calábria também é banhada pelo mar Jônio) Fazem parte da Calábria as províncias: Catanzaro, Cosenza, Crotone, Reggio Calabria e Vibo Valentia. Site Oficial

           R e g  i ã o     d a     L i g ú r i a        

 

 Montanhas e rochedos que parecem erguer-se diretamente do Mar de Ligúria, na orla setentrional extrema do Mediterrâneo. É a paisagem dominante da Ligúria, fascinante e empolgante. A capital Gênova é um dos principais portos do Mediterrâneo, pátria de Cristóvão Colombo, o grande navegador que descobriu a América. Poderosa cidade marítima desde a Idade Média, Gênova conserva em grande parte os vestígios da  história. Edifícios imponentes, e grandes igrejas testemunham o esplendor passado, integrando-se perfeitamente na trama da cidade moderna. As províncias da Ligúria como Imperia e os outros importantes centros portuários da região; La Spezia e Savona, possuem  inúmeras atrações naturais e artísticas. Portofino e as Cinque Terre são um exemplo excepcional de natureza mediterrânea exuberante; assim como Portovenere e Sanremo (cujo cassino é todos os anos sede do popular Festival da Canção Italiana) é uma das mais típicas e famosas estações balneárias italianas. Com monumentos de grande valor histórico-artístico, destaca-se a esplêndida abadia beneditina de S. Fruttuoso, em Camogli.

           C  a  m  p  a  n  i a          

 

Dizem que o dialeto napolitano é mais conhecido no mundo do que a língua italiana. E as canções napolitanas são conhecidas no mundo inteiro. Quem não ouviu  "O sole mio"? E no entanto, essa difusão do dialeto napolitano esconde uma outra verdade: o napolitano não é um dialeto, mas uma autêntica língua,que exprime e veicula uma cultura autônoma, formada e consolidada ao longo dos séculos. Em suma, Nápoles faz sua própria história. E é por isso queela é tão conhecida, amada e visitada: porque é uma cidade única no mundo, que fascina e conquista  mesmo que está de passagem. E como poderia ser diferente, diante da beleza do seu mar, do fascínio da sua história, da simpatia da sua gente, da beleza dos inúmeros monumentos arquitetônicos de todos os tempos e de todos os estilos que embelezam a cidade? Campânia, a região cuja capital é Nápoles: com esplêndidas ilhas napolitanas como Capri, Ischia, Procida, e a espetacular costa de Amalfi, na magnífica Reggia di Caserta, no sítio arqueológico de Paestum (na província de Caserta) e nos muitas outras belíssimas localidades da Campânia. Não por acaso os antigos chamavam de "felix" essa terra. Fazem parte da Campânia as províncias: Avellino, Benevento, Caserta, Nápoli, Salerno.

          L  o  m  b  a  r  d  i  a         

 

 A  mais rica, a mais desenvolvida, a mais populosa região italiana. E, justamente por isso uma das mais surprendentes pelo seu patrimônio histórico, monumental, artístico e natural. Milão, capital da moda, publicidade e design, é uma grande cidade industrial e comercial. Milão esconde extraordinários tesouros arquitetônicos e artísticos como a  Duomo  e o castelo Sforzesco, Teatro alla Scala e a Pinacoteca de Brera. O resto da Lombardia conta com esplêndidas paisagens naturais como os lagos, o Parco dello Stelvio, monumentos e obras de arte de altíssimo valor. Em Monza, em Varese, em Como, em Bergamo, em Bréscia, em Pavia, em Lodi, em Cremona, em Varese, cada  época deixou a sua marca cultural e artística:nas estruturas urbanísticas e igrejas.  Do românico ao gótico, do renascentista ao barroco, até as mais ousadas e inovadoras soluções arquitetônicas e artísticas da modernidade e da atualidade: a Lombardia ostenta um imponente patrimônio cultural e artístico. Fazem parte da Lombardia as províncias: Bergamo, Milão, Como, Cremona, Lecco, Lodi, Cremona, Mantova, Monza, Brianza, Pavia, Sondrio e Varese. Site Oficial

           P  i  e  m  o  n  t  e         

 

 Turim, capital do Piemonte é capital da grande indústria italiana (aqui fica a sede da FIAT, (Fabrica Italiana de Automóveis Turim!) uma das maiores indústrias automobilísticas do mundo, também é um dos centros de maior atração turística da Itália. No Duomo é guardado o Santo Sudário, o antigo lençol de linho em que, segundo a tradição, foi envolvido o corpo de Cristo ao descer da Cruz, atraíndo milhares de fiéis.  Também é importante o Museu Egípcio, com extraordinária coleção do Antigo Egito, e a Galeria Sabauda, com obras-primas de grandes artistas europeus. Em Turim, enfim, acham-se alguns grandes testemunhos monumentais do papel de protagonista que o Piemonte teve na história italiana dos últimos séculos, como sede da Casa de Sabóia (a dinastia que reinou na Itália até 1946) e primeira capital do Reino da Itália: Palazzo Reale, Palazzo Madama, a Mole Antonelliana, a Villa Reale de Stupinigi. Há também lindas cidades e províncias de Novara, Vercelli, Cuneo, Alessandria, Asti, com importantes monumentos, fortalezas, basílicas, conventos. Esplêndidos e variados os cenários naturais: montanhas, vales, colinas, como  as Langhe, que servem de ambiente para muitas narrações de Cesare Pavese e Beppe Fenoglio, famosos escritores do Piemonte, lagos Maggiore, d'Orta, Viverone e o Parque Nacional da Valgrande. De tradição gastronômica e vinícola, onde são produzidos vinhos italianos d emuito prestígio. Fazem parte do Piemonte as províncias: Alessandria, Asti, Biela, Cuneo, Turim, Novara, Verbano, Cusio, Ossola e Vercelli.  Site Oficial

          A  b  r  u  z  z o          

 

Abruzzo tem 30% do seu território protegido por leis ambientais. Nenhuma outra região da Europa pode gabar-se de algo assim. Não é por acaso que ela é chamada de "a região dos parques". Possui 3 Parques nacionais, um Parque regional e dezenas de áreas e reservas naturais protegidas. Numa região assim, parece natural que a capital se chame L'Aquila - a águia, emitaliano. Dominada por um imponente Castelo do século XVI (que hospeda o Museu Nacional deAbruzzo), L'Aquila tem esplêndidos monumentos civis e religiosos, medievais e renascentistas. Na costa de Abruzzo  sesobressai Pescara, pátria de Gabriele D'Annunzio (cuja casa natal é hoje um pequeno mas sugestivo museu). Em Chieti há um importante Museu Arqueológico Nacional, conhecido (e premiado) pela modernidade e pela eficácia da sua organização . O "ponto forte" do Museu é o Guerreiro de Capestrano, uma estátua funerária do séc. VI a.C., encontrada na província de L'Aquila em 1934. Em Teramo, no interior do Duomo, é imperdível o estupendo Paliotto - ornamento da parte anterior do altar - do século XV, de autoria do grande ourives natural de Abruzzo, Nicola da Guardiagrele. Mas o Abruzzo é surpreendentemente rico em tesouros arquitetônicos e artísticos, quase tanto quanto em tesouros naturais e em tradições populares (como a "festa dei serpari" de Cocullo, que a cada primeiro domingo de Maio leva milhares de pessoas à minúscula aldeia). Fazem parte de Abruzzo as províncias: L´Aquila,  Pescara e Teramo. Site Oficial

         B  a  s  i  l  i  c a  t  a       

 

Encontra-se em Matera, "patrimônio da humanidade".pela UNESCO.   Trata-se dos "sassi di Matera"( literalmente, pedras de Matera) , uma das mais singulares, antigas e extraordinárias povoações humanas do mundo, que há décadas chama a atenção de estudiosos e artistas do mundo inteiro (o escritor italiano Carlo Levi referiu-se a eles em seu famoso livro "Cristo si è fermato a Eboli"). Nas "pedras", as casas são escavadas na rocha  e as paredes são construídas com o mesmo material escavado. Habitadas até pouco tempo atrás, hoje as "pedras" foram esvaziadas e são objeto de trabalhos de restauração e valorização culturale turística. Uma visita aos "sassi di Matera" é uma experiência realmente única. Mas esta não é a única razão para se ir a essa pequena, isolada, belíssima região, banhada por dois mares: o Tirreno e o Jônio. Encontram-se na Basilicata ruínas gregas (Metaponto), igrejas e castelos medievais (Melfi,Lagopesole), praias lindíssimas (Maratea), uma natureza não poluída (a Basilicata divide com a Calábria o esplêndido Parco del Pollino). E Matera não tem só as "pedras":é também de grande interesse, a singular mistura de românico e barroco da Igreja de S.Francesco. Enfim, por que não programar uma esticada até Venosa, pátria do grande e sábio poeta latino Horácio? Ali, entre outras coisas, se pode admirar a Abadia medieval da SS.Trinità e outros monumentos interessantes. Na capital da região, Potenza, velhos e recentes terremotos danificaram gravemente o centro histórico. Mas o Museu arqueológico merece uma visita. Fazem parte as províncias: Matera e Potenza  Site Oficial

            F r i u l i     V e n e z i a    G i u l i a        

 


O último Doge de Veneza, Ludovico Manin, retirou-se para estas paragens quando, ao finaldo séc. XVIII, a República de Veneza se desmoronou sob os golpes de Napoleão.  Nesta belíssima  região, onde quase todas as cidades tem museu importantes como o de Udine, Tolmezzo, Pordenone,  Gorizia, Aquileia, e surpreendem com a grande quantidade de estilos arquitetônicos. Em Udine, no centro, ficam frente a frente o gótico -veneziano do Palazzo del Comune e o belíssimo Caffé Contarena, em estilo Art Deco.  Muito sugestiva a Basílica de Aquileia, hoje uma pequena comuna, outrora uma importante cidade do Império Romano. Trieste, na Venezia Giulia rica em história e em cultura, com um patrimônio artístico antigo e moderno de alto nível, foi amada e representada por grandes escritores (James Joyce, Italo Svevo, etc. Grado,na província de Gorizia, é a preferida de inúmeros e  turistas, pelo seu mar e clima saudável. Fazem parte da Friuli Venezia Giulia as províncias de Porizia, Gordenone, Trieste e Udine. Site Oficial

            M  a  r  c  h  e         

 

Sabe-se que a Itália tem o patrimônio artístico-cultural mais rico do mundo. Não só isso: os seus bens culturais não se encontram unicamente nas grandes cidades artísticas, mas estão espalhados por todo o território nacional como em nenhum outro país.  Marche é uma região em que uma natureza rica e variada com o mar Adriáticoe sua costa plana e arenosa, interrompida  por  íngremes rochedos; a harmoniosa paisagem agrária com suas suaves colinas; as grutas profundas e misteriosas; as áreas naturais protegidas é enriquecida por cidades,  palácios, edifícios religiosos quase sempre de alto valor arquitetônico e artístico. É o caso do Duomo de Ancona, a capital da região, importante porto do Adriático,ou da catedral de Pesaro. Em Urbino, o Palácio Ducal é um testemunho impressionante da grandiosidade do Renascimento. É um pecado imperdoável achar-se durante o verão em Macerata e não reservar um lugar no majestoso Sferisterio, para assistir a um espetáculo teatral ou musical. Em Ascoli Piceno, a combinação de arquiteturas medievais e renascentistas (S.Francesco, Loggia dei Mercanti, Piazza del Popolo, etc.) prende a atenção até mesmo do visitante mais distraído. Mas em quase todas as cidades das Marche, há autênticos tesouros artísticos. Como  Recanati, cidade natal do mais amado dos poetas italianos de todos os tempos:  Giacomo Leopardi (1798-1837).É difícil não ficar emocionado ao  visitar o palácio onde o poeta viveu. Uma emoção que, num sentido diferente, também sente o visitante da Santa Casa em Loreto, meta de grandes peregrinações.  Fazem parte das Marche as províncias: Ancona, Ascoli Piceno, Macerata, Pesaro e Urbino Fermo. Site Oficial

          M o  l  i  s  e        

 

 Esta pequena e deliciosa região à beira do Sul do Adriático ainda não virou moda. Com esplêndidas paisagens,  tradições populares,  gastronomia  deliciosa, lindo mar, artesanato de famosos sinos de Agnone, e tranqüilas aldeias no interior. É realmente um prazer visitar Molise. A começar pela capital Campobasso, com seu sugestivo labirinto de ruas antigas e o Castello Monforte, do séc.  XV. Em Termoli, a cidade mais importante da província de Campobasso, o sol mediterrâneo ilumina os muros antigos erguidos pelo imperador Federico e o Castelo do século XVI que avança sobre o mar. E em toda parte, em Molise, a natureza parece zelar pela história, proteger as suas memórias. Como na esplanada de Sepino, cuja área arqueológica testemunha a antiga colonização romana,e nas vizinhanças de Pietrabbondante, onde outro interessante sítio arqueológico recorda a remota existência dos Sanitas, antigo povo itálico que ousou desafiar e combater a potência de Roma. E ainda na província de Isernia (segunda cidade de Molise, dona de uma bela Catedral e de uma fonte do séc. XIV), onde se ergue solitária e majestosa a antiqüíssima abadia de S.Vincenzo al Volturno. Fazem parte da Molise as províncias: Campobasso e Isernia. Site Oficial

        V a l l e    d´  A o s t a      

 

Pequena região ao norte da Itália, rodeada por muitos picos que a delimitam (entre eles o Mont Blanc, muito lindo, é a montanha mais alta da Europa, com seus 4807 m). Aosta, a capital e única província do Valle é uma cidade rica em história. Na Idade Média Aosta  foi centro de intercâmbios comerciais com a França e a Suíça, quando teve um longo período de prosperidade; vestígios da antiga Augusta Pretoria (nome latino de Aosta), o grande Arco de Augusto (25 a.C.) e os restos do Teatro Romano.  Além de  contar com belezas naturais como montes Cervino (4478 mi), do espetacular Monte Rosa (colorida pelas geleiras), a alta montanha Gran Paradiso no Parque Natural Gran Paradiso. São lugares bastante procurados nas férias com tardicionais estações de ski, principalmente: Courmayer e Breuil-Cervinia. Uau, para quem adora esquiar é o paraíso! O Valle del Monte Bianco e suas incríveis pistas de ski! Site Oficial

          S  i  c  í  l  i  a         

 

 As cidades gregas da Sicília como Agrigento, Selinunte, Segesta, Siracusa,  estavam entre as mais belas do mundo helênico. Visitar hoje o Vale dos Templos em Agrigento ou assistir a um espetáculo de verão no grandioso Teatro Grego de Siracusa é um autêntico mergulho no longínquo passado helênico. E o mesmo acontece, na Sicília, com muitas outras épocas e civilizações, da espanhola à francesa. A Sicília é um livro de história e de história da arte, das maiores civilizações e culturas de todos os tempos. Uma ilha com uma natureza exuberante, vistas de arrepiar  e uma deliciosa e variada gastronomia, de sabores e aromas mediterrâneos inesquecíveis. Fazem parte Palermo, Catânia, Caltanissetta, Enna, Siracusa, Ragusa, Trapani, Agrigento, Messina, Cefalù, Noto e Taormina.

 Sicília guarda tesouros da Magna Grécia, tão perto da África, da Península Ibérica e Oriente  e ocupa posição estratégica do ponto de vista militar e comercial . Desbravada por fenícios, tomada pelos gregos, tromanos,  árabes, construída pelos bizantinos... Quanta mistura, quanta cultura, quanta beleza! Sabores que correm o mundo e perfumam as mesas? Vistas espetaculares, praias lindas, cenários, ruínas, vielas, escadarias, penhascos, e o maior vulcão ativo da Europa! A Sicília é um espetáculo!

            U  m  b  r  i   a          

 

      São Francisco, só podia ter nascido na Úmbria! Nestes lugares de natureza sempre verde, encantada, radiosa. Perugia, nos faz lemrar dos chocolartes Baci! A capital da região nos encanta com  suas obras arquitetônicas desde os muros etruscos ao esplêndido Palazzo Gallenga, sede da prestigiosa universidade para estrangeiros, e aos inúmeros edifícios e monumentos históricos. E o mesmo acontece com a esplêndida Gubbio, rica em memórias franciscanas e em monumentos das épocas medieval e renascentista. E depois Todi, Spello, Spoleto, Orvieto, com seu Duomo maravilhoso! Città di Castello e tantos outros vilarejos ricos de monumentos, palácios, igrejas.  Terni, moderna cidade industrial, ostenta jóias como as igrejas de S. Salvatore e de S. Francesco e, nas suas redondezas, a espetacular Cascata delle Marmore. Por fim Assis, a cidade natal de São Francisco (e de Santa Clara, fundadora da ordem das Clarissas), uma das localidades cristãs mais conhecidas e freqüentadas pelos peregrinos.

             T r e n t i n o    A l t o    A d i g e           

 

 O verde dos vales, as montanhas branquinhas cobertas de neve, a tranquilidade dos lagos.  Que delícia passar férias no Lago de Garda, no Parque Nacional dello Stelvio ou então esquiar em Madonna di Campiglio ou em San Martino di Castrozza! A natureza é esplêndida, com excelente hospitalidade e ótima comida.  Em Trento se encontra o Duomo românico-gótico que, de 1545 a 1563, hospedou o mais famoso Concílio da Cristandade. Também Rovereto com belos edifícios arquitetônicos do século XV: o Castelo e a Igreja de S.Marco. Em Bolzano, cidade de culturas latina e alemã, com muitas maravilhas arquitetônicas, como  a Porta del Vino. É imperdível a Igreja dos Dominicanos, com o afresco do século XIV sobre o "Triunfo da morte", de inspiração de Giotto. É de grande beleza Merano/Meran, com os seus velhos pórticos e o centro histórico. Site Oficial

           P u g l  i  a         

 

 Bari, capital da Puglia com o Duomo e a Igreja de S. Nicola, com suas formas românicas, são um testemunho majestoso da época medieval. No Museu Arqueológico, podem ser encontrados vestígios do mundo grego. Assim como em Brindisi, Andria, Barletta, Trani, Ruvo di Puglia, Lucera, Troia, Manfredonia, Otranto, Gallipoli. De uma outra época, mas igualmente precioso e extraordinário é o florescimento da arquitetura barroca em Lecce. Em Taranto, com Museu Arqueológico e belas peças do passado mais remoto. E Alberobello, na província de Bari, é a capital dos Trulli, com habitações  que remontam à pré-história. Além disso há uma extraordinária combinação de montanhas, bosques e mar .

Alugue um carro na Itália

Agende aqui seus passeios na Itália com antecedência

Pesquise aqui melhores ofertas de hotéis na Itália